Como fazer o cálculo do seguro desemprego 2019

Entenda como funcionam os procedimentos para fazer o calculo seguro desemprego 2019

O seguro desemprego é pedido por milhões de pessoas todos os anos e é um respaldo financeiro fundamental quando falta trabalho: com ele, dá para o trabalhador manter as suas despesas mais urgentes pagas e ter condições de se deslocar para procurar outra colocação

Porém, o valor do seguro desemprego não é sempre o mesmo: ele é determinado pela média salarial que a pessoa tinha antes de ser demitida. Entenda aqui como fazer o cálculo do seguro desemprego 2019.


Como funciona o seguro desemprego?

Trata-se de um benefício trabalhista pago às pessoas que não foram demitidas por justa causa. O governo federal deposita determinada quantia até cinco vezes e não necessariamente de forma consecutiva: a pessoa pode receber tanto em janeiro, fevereiro, março, abril e maio quanto em meses alternados.

Como fazer o cálculo do seguro desemprego 2019


Quem pode dar entrada no seguro desemprego em 2019?

O seguro desemprego pode ser solicitado pelos trabalhadores nas condições abaixo:

  • Que trabalhavam registrados e precisaram se ausentar por motivo de qualificação profissional;
  • Que eram registrados, mas que foram mandados embora sem justa causa, incluindo-se os trabalhadores domésticos;
  • Que estavam em condição análoga à escravidão e foram resgatados;
  • Que é pescador profissional e atua em área que tem decreto de defeso.

Além de o trabalhador estar inserido em alguma dessas condições, também existem exigências com relação ao tempo de registro na carteira.

Até pouco tempo, bastava que a pessoa estivesse registrada por seis meses, independentemente de quantas vezes já havia pedido o benefício.

Agora, passou a haver três regras:

  • Se o trabalhador pede o seguro desemprego pela primeira vez, ele tem de apresentar doze meses mínimos registrados na sua carteira profissional no último um ano e meio;
  • Se o trabalhador pede o seguro desemprego pela segunda vez, ele tem de apresentar nove meses mínimos registrados no último ano;
  • Se o trabalhador pede o seguro desemprego pela terceira, quarta, quinta vez, etc., ele tem de apresentar seis meses mínimos registrados no último ano.

Passo a passo para fazer o cálculo do seguro desemprego 2019

Os profissionais que pedem esse benefício podem calcular sozinhos quanto receberão.

Funciona da seguinte forma:

  • Se a média dos seus últimos três salários dá até R$ 1.480,25, basta que a pessoa multiplique o valor em questão por 0,8;
  • Caso a média do salário fique entre R$ 1.480,26 e R$ 2.467,33, a pessoa precisa usar duas etapas: fazer a multiplicação por 0,5 e depois ainda adicionar R$ 1.184,20;
  • Quando a média salarial for superior a R$ 2.467,33, nem é necessário fazer nenhuma conta, pois o trabalhador receberá sempre R$ 1.677,74 a cada parcela.

Destaca-se que o trabalhador precisa utilizar, como já falado, os últimos três meses para fazer a sua média salarial.

Caso o benefício seja permitido, mas com um valor diferente, vale a pena pedir ao funcionário público que mostre como o cálculo foi realizado.

A pessoa que não quiser fazer o cálculo do seguro desemprego à mão pode procurar pelas diversas calculadoras virtuais.

Para usá-las, será preciso fornecer a quantidade de meses trabalhados, qual era o valor do salário e se o benefício foi pedido antes.

Como fazer o cálculo do seguro desemprego 2019


Como dar entrada no seguro desemprego

A solicitação do seguro desemprego 2019 pode ser feita nas agências do Sistema Nacional de Empregos (SINE), mas é obrigatório agendamento.

Também dá para pedir o benefício nas Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego (SRTE).

Deve-se levar alguns documentos e, se possível, uma xerox de cada. Esses documentos são:

  • Comunicação de Dispensa ou Requerimento de Seguro Desemprego;
  • CPF;
  • Documento de identificação;
  • Comprovantes de depósito do FGTS (fornecido pelo empregador);
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social;
  • Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho;
  • Inscrição PIS/PASEP.

O governo federal tem até um mês para começar os depósitos do seguro desemprego.

Quando este é concedido, o cidadão ficará sabendo se as suas parcelas serão consecutivas ou não.

É importante que o trabalhador solicite o seguro desemprego dentro do prazo, que é de até quatro meses desde a demissão (para o pescador e os trabalhadores registrados) e três meses para os demais.


Onde receber as parcelas do seguro desemprego?

Os beneficiados que tiverem o Cartão Cidadão podem fazer o saque do seguro desemprego em muito mais lugares: correspondente Caixa Aqui, agências da Caixa Econômica Federal ou casas lotéricas.

Já quem não tiver o Cartão Cidadão só pode receber indo às agências da Caixa e levando o documento pessoal.

O cidadão que é correntista da Caixa tem a facilidade de receber as parcelas diretamente na sua conta, mas elas precisam ser Caixa Fácil (que tem variação 023) ou Poupança (que tem variação 013).

Outra regra é que a conta não pode estar sendo movimentada no momento, o que significa não ter nenhum saldo.

O trabalhador que tiver alguma dúvida relacionada a como receber o seu seguro desemprego pode esclarecê-la em qualquer agência da Caixa, inclusive solicitando a emissão do Cartão Cidadão, se ele desejar.

Categoria: Valores Seguro Desemprego

Tags:, , ,

- 28 de janeiro de 2019
O Desemprego Seguro é um site não-oficial e não possui qualquer vínculo com o Ministério do Trabalho e Emprego. A página tem como objetivo informar e esclarecer dúvidas sobre o Seguro Desemprego.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado / Campos obrigatórios *